Vender uma prática de alta performance

abc

Não há nenhuma dúvida o trabalho de um vendedor é cheio de truques e habilidades. A pergunta que eu gostaria de discutir post é como você adquirir todas as habilidades e se tornar um vendedor Alta performance?

 

A principal dica é que um vendedor de alta performance sempre se apresenta como alguém que esta ali para VENDER, sim ele deixa claro ao cliente que ele esta ali para VENDER seu produto ou serviço. Ele sempre fechará a conversa fazendo algum tipo de proposta para fechar o negocio ou levar a negociação para um próximo passo ele estará sempre focado na busca do “SIM”.

 

Alem desta elaborei um roteiro de 07 dicas importantes para ajuda-lo

 

  1. Aumente sua capacidade de observação: Um vendedor de alta performance tem a capacidade de observar o comportamento da pessoa com quem ele se comunica e alinhar a sintonia da conversa, e através da análise rápida do comportamento da pessoa com quem conversa da pessoa a qual ele esta oferecendo o produto ou serviço. Um vendedor de alta performance sempre a versatilidade de em curto espaço de tempo entender como conversar a linguagem que o cliente quer ouvir. Você deve aguçar sua capacidade de utilizar seus sentidos para criar “raporto” com o cliente.

 

 

2.    Treinar a capacidade de escutar bem: A maioria dos vendedores são oradores naturais e infelizmente, mesmo um grande orador não vai chegar tão longe sem ter uma apurada audição, quem já ouviu a frase “ Uma boca e duas orelhas”. Os vendedores de alta performance ouvem a voz do cliente e através das respostas de seus clientes lhe desenvolvem a ideia mais clara do que eles querem e a partir dai oferecem propostas vencedoras para concretizar a venda. 3.    Treinar a capacidade de persuasão: Os vendedores de alta performance sabem que a emoção desempenha um papel importante nas vendas. Há um velho ditado que diz que características são os fatos sobre o seu produto ou serviço “características determinar os benefícios do que esta se oferecendo.”; Os benefícios são entendidos de forma emocional. A persuasão é a habilidade que lhe permite transmitir essas emoções para o cliente. Se você pode fazer através da sua perspectiva sentir quão grande será para o seu próprio produto e quanto a sua vida será melhorada quando eles têm-lo, você pode vendê-lo para eles

 

4.     Seja honesto: A verdade sempre é mais fácil de defender, você poderá repeti-la um milhão de vezes e repetirá as mesmas palavras. Os vendedores de alta performance sempre  são honestos com seus clientes, a confiança eles receberem  ao proteger seu clientes são fatores determinantes e tem  valor inestimável quando estão negociando e próximos a fase de fechamento do negócio.

 

5.     Construir relacionamentos fortes: Esta habilidade de vendas é muito importante para a vida de negócios de um vendedor de alta performance , pois os relacionamentos acompanharão a vida toda e são grandes validadores de oportunidades de negócios .  Construir e manter relacionamentos saudáveis é a chave para o desenvolvimento de uma rede de influencias forte e esta rede permitirá que você atinja  muito, muito mais perspectivas do que você conseguiria por conta própria.

 

6.       Fazem o cliente entender que ele está ajudando-os:  Você nunca deve explicitar , mas , é preciso reconhecer e capitalizar sobre o fato de que eles precisam de você mais do que você precisar deles. Ser um bom vendedor de alta performance,  eles sempre estão levando soluções inovativas aos clientes, estão focados em soluções que ajudam os clientes atenderem com alta performance os clientes deles.

 

7.    Não subestime pequenos detalhes: Um grande vendedor de alta performance irá exibir a mesma atenção e imparcialidade  tanto para  as pequenas e grandes contas que atende. Afinal,  ele precisa para se destacar em todos os níveis de relacionamentos, afinal o pequeno hoje poderá ser o gigante de amanhã e normamente serão gratos por receberem este tratamento igualitário.  Tente praticar algumas atitudes de profissionais campeões, afinal de contas é o treino, a dedicação, o foco que possibilitam os grandes profissionais a disputarem medalhas e ganharem campeonatos

Encontre um caminho para o progresso e não deixe que o perfeccionismo atrapalhe sua vida !

 

Adobe Spark (11)

Sim! Em alguns setores da vida o perfeccionismo pode atrapalhar uma jornada, aliás acho que em muitos setores da vida pessoal e profissional

Na minha caminhada como “Consultor de alta performance” me deparo as vezes com clientes perfeccionistas e percebo as muitas dificuldades que a busca do “ato perfeito” geram em muitos empresários e profissionais que atendo nos mais diversos seguimentos de negócios.

A premissa básica que defendo  é que a vida e  trabalho não são por natureza coisas perfeitas. Temos que nos adaptar a ambiguidade e a incerteza e encontrar o progresso no caos  e apesar disso,  buscar o verdadeiro sucesso  e   alcançar nossos objetivos neste ambiente bruto e inseguro

Eu fiz algumas observações em minha agenda e quero compartilhar com vocês, afinal de contas faço críticas, mas confesso que certos momentos tenho meus momentos de perfeccionismo também.

Então vamos lá:

  1. Perfeccionistas nunca dão a partida no projeto. Os perfeccionistas querem ter certeza de que a resposta, a estratégia ou  que o plano proposto seja  impecável. Eles acham que a menos que haja a certeza absoluta, é mais seguro aguardar até ter a formula perfeita esteja 100% testada e aprovada para adotar a solução. Recentemente eu assisti um filme a respeito da viagem a Lua na Lua e a luta que toda a equipe da Nasa travou contra os acasos que ocorreram e estavam impedindo  o retorno dos Astronaudas para a casa. Mesmo sabendo que aquele ambiente não permitia erros, o acaso e as combinações aleatórias de alguns fatos levaram a situação a um caos e a partir daí tudo que erá perfeito deixou de ser e um novo mundo apareceu derrepente a frente dos engenheiros e técnicos da Nasa e naquele momento a equipe passou a adotar a máxima de que o progresso é mais importante que a perfeição” O objetivo era somente trazer os Astronautas são e salvos ao final daquela saga.

  2. Perfeccionistas são demasiado lentos para se mover.  Pessoas que começam  mudanças em larga escala para fazer as suas ideias em realidade têm instintos que valorizam tanto a velocidade e flexibilidade, porém para os perfeccionistas a crença do devagar  e sempre o termo preferido, querem que tudo esteja devidamente 100% ajustados para avançar para o próximo passo. Na verdade nada contra isso, porém o “timing” para a concretização dos negócios é que define o tempo de plantar e o tempo de colher, frutas maduras que não são colhidas aprodecem na arvore.

  3. Perfeccionistas não sabem, mas procrastinam muito.  A procrastinação esta muito  ligada ao perfeccionismo. A procrastinação pode mascarar a falta de confiança ou medo de estar errado ou de enfrentar críticas. Pense: O que  faz você atrasar seus projetos? O que falta para dar o próximo passo? Se for algo ótimo  sugiro trocar bom e avançar para a próxima casa

  4. Perfeccionistas não sabem quando o bom é bom o suficiente.Este hábito é conhecido como “paralisia da análise”, ou  seja quando precisamos apenas um pouco mais informações para obter a resposta perfeita pois apesar ter um boa resposta o perfeccionista não se convence que é suficiente para avançar. Você deve tentar usar a intuição-o e a capacidade de analitica quando não encontra informações suficientes para decidir e seguir em frente; você vai encontrar formas de se adaptar em situações novas ou incertas e progredir com certeza

  5. Perfeccionistas esperam uma resposta certa quando ela não existe. Poucas situações na vida tem uma resposta perfeita, correta ou simplesmente apenas uma resposta. Assim sendo, você deve tornar-se um  “incrementalista” e olhar para o progresso. Poderá encontrar 10 caminhos para alcançar seu objetivo, por isso, você deve entender o ato de  abrir e fechar das portas e assim  quando uma porta se fechar, você deverá encontrar outra porta  para abrir e continuar em frente.

Não é errado pensar em perfeição e em querer  realizar algo perfeito, não é errado pensar em ser o estado da arte naquilo que você se propoe a fazer, mas em muitos momento o feito é sempre melhor que o perfeito, o realizado é sempre melhor que o sonhado, avançando desta forma você terá tempo de melhorar a cada passo dado e ao final da sua missão estará com tudo completo e bem realizado

Não pratique ações sabotadoras do sucesso profissional, comporte-se como um Super Heroi para si mesmo!

business-success

Quando se inicia o projeto de execução de um novo empreendimento, é necessário que se faça um elenco de situações que poderão ocorrer durante e a caminhada e possivelmente lhe fará perder  a motivação logo no inicio do projeto e levar você a praticar a auto-sabotagem . Muitos desistem logo no inicio, começam com tudo e nunca finalizam.

Para ajuda-los eu elaborei uma lista com 12 referencias que ajudarão você a se auto monitorar. Sugiro anota-la na primeira pagina de sua agenda  e temporariamente dar uma olhadinha para entender se você não esta praticando as ações sabotadoras do sucesso.

Anote todas:

  • Subestimar as dificuldades iniciais achando que todas serão simples e fácil.

As dificuldades são barreiras que devem superadas e não subestimadas.

  • Ser surpreendido com lentidão inicial na partida do projeto.

A lentidão no inicio pode causar a letargia e morte do projeto então comece acelerando com força.

  • Bancar o esperto quando todos trabalham duros.

As vezes você nem percebe que esta fazendo corpo mole e contagiando a equipe com a moleza da esperteza, se for assim é melhor cair fora.

  • Se julgar superior aos outros colegas do grupo.

O complexo de superioridade cega e coloca as pessoas em um ambiente inócuo, sem vida.

  • Permitir que as criticas destruam a confiança de todos.

É muito fácil ouvir as críticas negativas e pessimistas e aceitar como forma de justificativa quando as coisas ficam difíceis.

  • Questionar se o custo é maior que o retorno do investimento.

No momento em que se inicia a execução do projeto  não é hora de analise de retorno, se você fez seu estudo corretamente você sabe qual a estimativa de tempo que seu dinheiro retornará

  • Desacelerar a velocidade durante o projeto.

A equipe não entendera porque você colocou o pé no freio, se você tem a equipe, os recursos e os produtos, não pare a velocidade até que tudo seja concluído.

  • Ser excessivamente otimista e perder o controle de tudo.

Acreditar que Ter um plano,manter a disciplina é algo desnecessário é um grande erro, apesar de confiar na capacidade das pessoas você deve lidera-las. Uma grande orquestra não funcionaria bem sem um grande maestro.

  • Pensar que esta batalha é somente sua.

Ninguém vence as batalhas sem um grande batalhão, todos ali são soldados e estarão sob seu comando e cada um terá um motivo pessoal para se alinhar a sua missão.

  • Subestimar sua capacidade de aguentar as dores e mal estar durante o projeto.

Nunca pense que seu corpo resiste a todas pancadas emocionais e físicas pelas quais você ira passar, para evita-las você tem que respeitar a harmonia de seu corpo.

  • Se intimidar com o que estará por chegar a sua frente.

Acredite, não existe pior caminho do que ficar parado esperando alguma coisa acontecer, parado e intimidado você pode passar de caçador a presa e ser devorado por quem esta na mesma corrida.

  • Nunca visualizar o final do projeto.

É sempre um ciclo com inicio, meio e fim e que por vezes se renovará, mas  você deve pensar que depois que você alcançar e conquistar o pico da montanha, você terá um caminho tortuoso na descida e quando terminar esta aventura estará pronto para a próxima que poderá ser mais desafiante e gratificante.

 

Boas reflexões

Esqueça Storytelling, Tente Storydoing

thenextweb

Há uma diferença entre viver a história da sua marca ou simplesmente falar sobre ela.

Como traduzir os sinais que recebemos, Hoje pela manhã  durante um delicioso café com proposito eu recebi a seguinte sugestão sobre a reestruturação dos meus negócios: Porque você não publica conteúdo  sobre “foco nos resultados” ?, afinal sou um entregador nato e é assim que as pessoas me identificam.  Minha atividade profissional me obriga a isto e gosto muito do que faço,  não tenho dúvidas que sou bom nisso. Fui doutrinado na escola de entrega de resultados, o interessante  entregar resultados é  que tão normal para mim que não consigo imaginar qualquer atividade humana que não seja recompensada por esta entrega e acho que é obvio ! Acontece que momentos  depois dando uma passada pelo facebook  li  um “post” do meu amigo Eduardo Carmello sobre a “demonstração da idéia em ação” e   minha reação instantânea foi parar para entender o que estava recebendo como mensagem subliminar, sim era o “sexto sentido” buscando entender as conexões da mensagens da manhã e a conexão com o “post ” do Carmello.

Historias são contadas porque um dia foram criadas e empresas criam suas historias através das entregas  dos serviços e produtos, da execução e dos resultados

Marc Andreessen disse a famosa frase: “Uma empresa sem uma história é uma empresa sem uma estratégia.”  Eu não poderia concordar mais. Ter uma história clara e distinta é fundamental na construção de uma marca hoje. No entanto,

há uma distinção a ser feita entre a transmitir a sua história  “storytelling” e viver a sua história, ou “storydoing”.

Compreender a diferença entre os dois e  que a mudança em direção a este último é fundamental para a construção de um negócio.

Estamos vivendo em um mundo virado de cabeça para baixo. Recursos que eram uma vez relativamente escassos tornaram-se abundantes ( exemplo linhas telefonicas e comunicação) . Na última década, o número de marcas (e histórias) quadruplicou. Graças, em grande parte, a comunicação da  Internet que aumentou o número de canais em que as marcas podem compartilhar e contar essas histórias. Dez anos atrás, YouTube, Twitter e Tumblr não existia; mesmo  o Facebook  que era apenas um brilho nos olhos de Mark Zuckerberg.

Esta abundância e fragmentação colocou uma pressão real sobre provavelmente os dois recursos mais importantes de todos: tempo e dinheiro.

Transmitir a história da sua marca no mundo conectado de hoje é complicado, desafiador, caro, e cada vez mais ineficiente. Encontrar e agregar um público considerável é difícil. Numerosas agências e parceiros são necessários para criar a midia de de conteúdo certo para o meio certo. Não surpreendentemente, rompendo o barulho que se seguiu e desordem com uma história coerente é ainda mais difícil.

Nada disso tem se revelado bom para as marcas. De acordo com Brand Asset Valuator , pontuações gerais de qualidade da marca, a fidelidade à marca e confiança na marca estão em declínio, queda de 24 por cento, 31 por cento, e 50 por cento, respectivamente. Valor percebido está caindo bem  e, com ela, eu suspeito, as margens que o valor da marca têm gerado historicamente , o que chamamos de “goodwill”

As estatísticas são alarmantes, mas talvez mais alarmante é a seguinte: Neste mundo de mercantilização generalizada e sistemática, a maioria dos CEOs não estão cientes da realidade. Pergunte ao CEOs se os produtos de sua empresa são diferenciados e 80%  vão dizer que sim; em contraste, apenas 10% dos clientes irão concordar.

De Storytelling para Storydoing

Se  transmitir a sua história não é suficiente agora , como você efetivamente  deve começar a contar a história da sua marca e do produto para o mundo? Aparecer e crescer  no meio de tanta gente e tantas ofertas .  A boa notícia é que as mesmas forças que causaram a explosão e fragmentação dos meios de comunicação têm criado  pessoas mais influentes e mais poderoso do que nunca.

Acreditem : 90% das pessoas confiam em uma recomendação de um amigo, 75% comentários anônimos na Internet, 5%  por cento de publicidade. Essas recomendações são baseadas em grandes experiências.

As empresas têm que realizar a mudança de “storytelling” , que tem sido historicamente  alçada do departamento de marketing  para  o “storydoing”, que é fazer acontecer e fazer com que seus funcionários, clientes e fornecedores comecem a contar o que está acontecendo e como estão criando uma história de que participam como atores principais na vida da empresa. O objetivo comum é sobre a criação de comunicação e mais ainda sobre a criação de experiências de que as pessoas podem participar e compartilhar com os outros. O ditado abaixo continua a soar verdadeiro:

As ações falam sempre mais alto do que palavras.

O que faz uma grande  empresa Storydoing? 

Os Construtores de historia se estruturam  de forma diferente. Eles inserem  suas histórias no centro do seu negócio e as contam através de  em seus produtos e serviços, as experiencias , sensações e  benefícios. Vejam a Herbalife, a Mary Kay, A RedBull entre tantas outras. Mesmos os profissionais independentes contam historias atráves dos serviços que oferecem.

Grandes empresas “storydoing”  estão em uma caçada. Eles definem um desejo, além da aspiração comercial que é vender. Ser  o maior ou o mais bem sucedido financeiramente não é uma missão. Tem que haver uma generosidade fundamental para uma missão inspirar. Tem que ser algo que inspire as pessoas a juntar-se e divulgarem tudo de bom que estão obtendo com a experiência.

O inimigo é mau serviço, a má qualidade, o desprezo pelo clientes … o que me leva ao terceiro atributo do “storydoing” : Grandes empresas storydoing têm um inimigo definido.

Por exemplo a Cia Aérea JetBlue , que aqui no Brasil tem seu fundador o proprietario da Azul foi criado para lutar contra a experiência branda e brutalista sobre as principais transportadoras aéreas nacionais nos EUA. Sua missão declarada era “trazer a humanidade de volta às companhias aéreas.” Ele não fez isso através de slogans pedindo-lhe para “voar os céus amigáveis”, mas expressou através da experiência: uma classe de serviço. assentos de couro para todos. Televisão por satélite para todos. lanches ilimitadas (e gratuitos) para todos.

No mundo conectado, mudando de”storytelling”  para  “storydoing” fará com que sua empresa não só seja  mais eficiente e eficaz, mas também fundamentalmente a fará  mais gratificante para seus clientes e sua equipe e talvez até mesmo para mundo.

 Creditos: Rosemarie Rian – INC.

Os sugadores de energia!

par ou impar

1) O processo de tomada de decisão
 
Apesar de muito experiente, normalmente todas as vezes que você vai tomar uma decisão importante sua mente faz com que você pague um pedágio caro, sua mente fica cansada e isto também reflete em seu corpo, No inicio você pode até ter a certeza de que sua decisão é a mais correta, porém durante a formação do processo de decisão você mesmo vai criando razões para duvidar de suas próprias decisões e ai tudo acontece. Esta é a fase que costumo a chamar de : e se ?
 
– E se eu tomar a decisão errada?
– E se a decisão não ficar de acordo com a expectativa do meu cliente
– E se demorar mais tempo que a proposta
– O que as pessoas vão pensar de mim?
– Isso é realmente o melhor?
 
Estas são apenas algumas das perguntas que nós tendemos a criar que nos levam à indecisão e a indecisão cria fadiga, portanto você precisa entender antes de mais nada qual é o seu perfil para tomada de decisão:
 
Então que tipo de pessoa decisora você é?
 
Quando se trata de tomar decisões, existem dois tipos de pessoas:
 
O Maximizador
 
O Maximizador quer sempre tomar a decisão ideal. Ele quer fazer as coisas com perfeição, quer ter cada ponto do processo sobre controle e só decidirão quando tiver um elenco de ações possíveis para cada possibilidade de falha resolvidos e bem claros. E mesmo quando eles encontram uma resposta ou solução para seu problema, eles normalmente adiam a tomada
uma decisão, podemos chamar de procrastinação involuntária causada pelo medo.
 
O Satisficer
 
Termo foi denominado pelo economista Herbert Simon, em 1956, o satisficer ( sem tradução para o português) refere-se a pessoas que agem e tomam uma decisões a partir do momento
que encontram o que querem. Eles definem os critérios do que querem ver, e assim que.
encontram soluções que satisfazem esses critérios, se movem para a frente e tomam a sua
decisão. Não precisam de ver todas as opções o possibilidades possíveis.
Eles buscam, eles encontram, eles agem.
 
Em que tipo você se encaixa?
 
Quais os custos para os dois tipos de decisores?
 
Muitas pessoas não consideram o custo que pagam por serem indecisos. Eu já testemunhei dezenas de consultores “maximizadores” que sabem o que eles precisam fazer, já identificaram o problema se seus clientes e não conseguem a tomar as decisões no tempo certo. Talvez por falta de habilidade, sem saber como estruturar e escrever propostas
Vencedoras, ou simplesmente não sabem como dar o próximo passo para conquistar o projeto, porém como disse no inicio deste post, a indecisão cobra um preço alto no fator tempo, pois enquanto pensam.
O satisficer decide age e sempre leva vantagem, pois durante a negociação ele fazem as correções necessárias e avançam casas na busca do fechamento do contrato. È lógico que um maximizador pode se tornar um satisficer, devido ao tempo e experiência acumulada, porém aqui falo dos que adotam os estilos como modo de estrutura de pensamento.
 
Para finalizar este assunto ilustro com uma informação da analise de uma pesquisa muito interessante sobre um estudo realizado com de mais de 500 milionários americanos
Descobriu-se que todos eles tinham uma coisa em comum. Todos foram decisivos em suas ações. O autor deste estudo era ninguém menos que Napoleon Hill.
Em seu livro clássico “Pense e Enriqueça”, Hill disse que “A análise de várias centenas de pessoas que tinha acumulado fortunas bem além da marca de 1 milhão de dólares divulgado o fato de que cada um deles tinha o hábito de chegar a decisões rapidamente .” Isto foi em 1936, 1 milhão de dólares, em seguida, vale muito mais agora!
 
O outro perigo de ser indeciso é que enquanto você está gastando tempo considerando todas
as opções e cismar com uma decisão, seu concorrente já tomou decisão dele
está fazendo progresso enquanto você não decide e o sucesso ocorre na medida que você decide e não quando você fica pensando no que fazer
 
A pessoa que tomas decisões sempre leva vantagem sobre as indecisas , é notório e muito nítida esta vantagem competitiva
Poderes secretos dos empreendedores
 
O Verdadeiro “segredo” é que mesmo que se você tome uma decisão errada, você sempre você sempre poderá fazer uma mudança e retomar seu projeto. O mundo empresarial é assim poucas empresas começaram com uma ideia de muito sucesso.
Eles alcançaram o sucesso, agindo, tentando, aprendendo o que funcionava e corrigindo o que não funcionava. A ação gerava o feedback e o resultado é que eles eram capaz de continuar a ajustar as abordagem e ir ficando melhor e melhor.
 
Pense , aplique e replique porque é assim que funciona

DECLARAÇÕES DE ATITUDES!

steve-jobs2

“Atitude: Palavra mais importante do dicionário”.

Por Gilclér Regina

Atitude é o comportamento ditado por uma disposição interior que nos leva a agir. Falar das boas atitudes pode mudar a vida de uma pessoa e compreende palavras como: Motivação; Dedicação; Empenho; Mudança, entre outras…

Motivação significa despertar o interesse. A motivação leva ao entusiasmo. Theos = Deos + Asmo = Sopro, isto é, um sopro divino em sua vida.

Dedicação significa entrega. Quem se dedica, se entrega. É a manifestação de amor. Há coisas na nossa vida que se não tivermos dedicação, fracassaremos.

Empenho é uma grande disposição numa insistência obstinada. Como você tomará decisões e atitudes na vida se você não está disposto a tomá-las de verdade?

Mudanças: Existem pessoas que acreditam que mudarão de vida do dia para a noite, como acontece nos filmes. Porém, as mudanças são fruto de renúncias, nova postura, ruptura, quebra…

Sabemos que alguma coisa é significativa para nós quando passa do cérebro para o coração e do coração para a ação. Muitas pessoas param no coração e não seguem…

Não basta mudar, é preciso mostrar que mudou. Não basta orar, é preciso ir ao encontro de Deus. Não basta amar, é preciso demonstrar que ama. Que atitudes você está tomando na sua vida? Lembre-se, toda mudança gera resistência, gera uma crise inicial e exige tempo, aprendizado. Tem que praticar.

Como está sua vida familiar, seu trabalho, seus negócios? Tudo aquilo que não tiver sua atenção, seu foco e ação, detonará. O amor precisa ser demonstrado com atitudes. A propósito, você já deu um sorriso hoje?

Pense nisso, um forte abraço e esteja com Deus!

* Gilclér Regina, palestrante de sucesso, escritor com vários livros, CDs e DVDs motivacionais que já venderam mais de cinco milhões de exemplares. Clientes como General Motors, Basf, Bayer, SEBRAE, Caixa, Banco do Brasil compram suas palestras. Mais de 2.000 palestras realizadas no país e exterior.

Dicas para ser um bom mentor

the art of (5)

A Mentoria para empreendedores é uma atividade de troca de experiência e conhecimento profissional e se inicia pela afinidade dos assuntos a serem abordado, Para um empreendedor a mentoria é algo muito rico e produtivo, pois o Mentorado sera tutoriado durante as fases de desenvolvimento do seu projeto. A mentoria esta alinhada com a ativiadade estratégica e se dará por completa quando a introdução posterior de um profissional de Coaching que fornecerá as ferramentas e praticas para que o empreendedor passe para a ação e avance em seu projeto.

O elenco das 10 atitudes a seguir , são essenciais para um mentor, as quais o levarão a desenvolver um processo de mentoria bem-sucedido.

1. Focar no aprendizado e desenvolvimento do seu mentorado – criando situações que possibilitem aprendizado para ele, como a incumbência de tarefas que para as suas execuções seja necessário à aquisição de conhecimentos e habilidades;
2. Orientação positiva ao mentorado – acreditando, encorajando-o e apoiando-o para o sucesso na realização das tarefas;

3. Altruísmo – disponibilidade para fornecer orientação e energia suficiente para possibilitar o sucesso do mentorado, sem esperar nada em troca;

4. Autoconhecimento elevado – o mentor deve ter consciência dos seus pontos fortes e fracos, competências pessoais e limitações;

5. Ser um expertise no seu campo de atuação- ter profundo conhecimento da sua área técnica para poder passar conhecimento com segurança ao mentorado;

6. Clareza de objetivos – explicitar os objetivos de um plano de trabalho, de um projeto ou de uma atividade nos quais o mentorado irá participar;

7. Empatia e sensibilidade – são essenciais para o sucesso de qualquer relação humana, elas são, respectivamente, a capacidade de analisar uma situação se colocando na posição do outro e a habilidade de perceber as emoções e sentimentos dos outros, os quais não são expressos verbalmente, mas por meio de gestos, comportamentos e atitudes;

8. Habilidade de relacionamento – é a capacidade de construir, manter e levar adiante as relações de forma satisfatória;

9. Capacidade de conceituação – advém da maturidade e sagacidade do mentor e ajuda o mentorado a entender e compreender o significado de coisas aparentemente desconexas, fazendo-o aprender a analisar os fatos através de várias perspectivas;

10. Habilidades de comunicação – saber ouvir, ser paciente ao ouvir e compreender bem as mensagens verbais. Perceber no que é falado o que é verdadeiro e o que é dissimulação, apreender, também, o significado das mensagens não verbais através da postura e gestos do mentorado. Essas habilidades darão condições ao mentor de poder desenvolver satisfatoriamente uma boa relação de mentoria.